Unimos natureza e ciência para cuidar de você

Anemia: O que é e quais são os seus sintomas?

Anemia: O que é e quais são os seus sintomas?

Publicado: 9 Setembro, 2022 - Actualizado: 7 Novembro, 2023 | 6'

Sente-se permanentemente cansado e sem forças? Talvez esteja a passar por um processo de anemia. Esta condição ocorre quando o nosso organismo não é capaz de gerar glóbulos vermelhos suficientes para transportar um nível adequado de oxigénio às células que constituem os tecidos do nosso corpo.

A anemia pode ser temporária ou prolongada, leve ou grave e de vários tipos, sendo um problema de saúde pública muito mais frequente do que se pensa. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 1620 milhões de pessoas no mundo sofrem de anemia, sendo a anemia ferropénica (baixo nível de ferro no corpo) a mais frequente, em 50% dos casos.

A seguir, os sintomas mais comuns, tipos e causas da anemia, bem como as melhores dicas para evitar o seu aparecimento e lidar com ela.

Principais sintomas da anemia

Os sintomas mais frequentes da anemia são:

  • Fadiga e fraqueza
  • Pele pálida
  • Palpitações cardíacas irregulares
  • Dificuldade em respirar
  • Tonturas
  • Mãos e pés frios
  • Dor de cabeça
  • Pouco apetite, especialmente em lactentes e crianças com anemia por deficiência de ferro
  • Unhas e cabelo frágeis

A gravidade da anemia, o estado físico da pessoa afetada ou a idade explicam que, em alguns casos, a anemia apresenta poucos sintomas. Em outros casos, os sintomas são tão visíveis que exigem uma consulta médica imediata.

Causas da anemia

Para entender por que ocorre a anemia, é necessário esclarecer alguns conceitos.

O corpo produz três tipos de glóbulos vermelhos: glóbulos brancos para combater infeções; plaquetas para ajudar na coagulação do sangue; e glóbulos vermelhos para transportar oxigénio por todo o corpo, todos produzidos na medula óssea, que se localiza nos ossos, principalmente os longos.

Os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina, uma proteína que lhes permite transportar oxigénio dos pulmões para todas as partes do organismo. A hemoglobina é rica em ferro, pelo que a sua produção depende da quantidade de ferro no corpo, da vitamina B12, do ácido fólico e de outros nutrientes dos alimentos que ingerimos.

Quando a quantidade de hemoglobina dentro dos glóbulos vermelhos é inferior a 13 g/dl nos homens adultos e 12 g/dl nas mulheres adultas não grávidas, diz-se que a pessoa tem anemia.

As causas mais comuns que determinam se tem ou não anemia são:

  • Perda de sangue (hemorragia abundante), que pode ser repentina, como ocorre como consequência de uma lesão ou durante uma cirurgia, ou pode ser crónica devido a distúrbios no trato digestivo ou urinário, ou devido a menstruações abundantes.
  • Produção insuficiente de glóbulos vermelhos devido a desequilíbrios nos nutrientes-chave para a formação de glóbulos vermelhos, como ferro, vitamina B12, ácido fólico, zinco ou cobre, entre outros, bem como um equilíbrio hormonal adequado, especialmente da eritropoietina (hormona que estimula a produção de glóbulos vermelhos). Estes desequilíbrios podem levar a uma formação deficiente de glóbulos vermelhos, ou a formação de glóbulos vermelhos em formas que não são ótimas para o transporte de oxigénio.
  • Destruíção excessiva de glóbulos vermelhos, geralmente num processo normal, os glóbulos vermelhos têm uma duração aproximada de 120 dias, após o qual são eliminados por órgãos como a medula óssea, fígado e baço. Se, por alguma razão extraordinária, a taxa de destruição de glóbulos vermelhos for maior do que a taxa de produção, o resultado é uma anemia hemolítica, que, no entanto, é rara.

Tipos de anemia

Há vários tipos de anemia: ferropénica, perniciosa, falciforme, aplástica, entre outras. Vamos ver os dois mais comuns e importantes:

Anemia ferropénica

A anemia ferropénica é a mais comum e ocorre quando o nosso organismo não possui a quantidade de ferro necessária para gerar glóbulos vermelhos saudáveis necessários para transportar oxigénio para as células. Esse tipo de anemia pode ocorrer quando as necessidades de ferro do nosso corpo excedem as reservas, como durante a gravidez, bem como devido à perda de sangue, como a menstruação abundante, úlceras, lesões no trato gastrointestinal, etc.

Anemia perniciosa

A anemia perniciosa ocorre quando a diminuição dos glóbulos vermelhos é motivada por deficiência de vitamina B12 e ácido fólico. Geralmente ocorrem em situações extremas de desnutrição ou em pessoas que, devido a certas situações, não conseguem absorver a vitamina B12 ou ácido fólico no trato gastrointestinal.

Como saber se tenho anemia?

Se tiver alguns dos sintomas descritos acima e se sentir cansado ou fatigado sem causa aparente, pode estar a enfrentar um episódio de anemia.

Não se preocupe. Normalmente, esses sintomas não são graves e têm uma solução fácil. O primeiro passo é consultar o seu médico para fazer o diagnóstico. Para isso, basta ir até o seu centro de saúde, pois um simples exame de sangue pode tirar todas as dúvidas. É possível que também lhe façam outros testes para determinar a origem da anemia e definir os possíveis tratamentos.

Anemia

Posso saber se tenho anemia olhando para os meus olhos?

Se suspeitar que tem anemia, um teste rápido e simples é examinar o interior da pálpebra. Basta olhar para o espelho, baixar a pálpebra com o dedo indicador e observar a cor. Se a cor estiver muito opaca, é possível que tenha anemia.

Esta observação – e isto é importante – nunca substitui um diagnóstico médico. Se suspeitar que tem anemia, vá ao seu centro de saúde para confirmar ou descartar essa possibilidade.

Fatores de risco para a anemia

Vários fatores podem aumentar o risco de desenvolver anemia. Segundo a Clínica Mayo, os mais frequentes são os seguintes:

  • Uma dieta desequilibrada. Se tiver uma alimentação pobre em ferro, vitamina B12 e ácido fólico, o risco de desenvolver a doença aumenta.
  • Idade. As pessoas com mais de 65 anos têm maior risco de anemia.
  • Menstruação. Mulheres em idade fértil têm maior risco de anemia devido à perda de sangue – e de glóbulos vermelhos – durante o período menstrual.
  • Gravidez. Mulheres grávidas que têm desequilíbrios de ferro e vitaminas, como ácido fólico, também têm maior risco.
  • Úlceras estomacais. A perda lenta e crónica de sangue também aumenta os riscos.
  • Distúrbios intestinais, como doença de Crohn, colite ulcerosa ou doença celíaca, dificultam a absorção de nutrientes pelo intestino.
  • Genética. Se tiver familiares com anemia hereditária, deve procurar aconselhamento médico.
  • Outros fatores, como doenças crónicas (câncer, insuficiência renal), doenças do sangue e distúrbios autoimunes, alcoolismo, exposição a substâncias tóxicas ou ingestão de certos medicamentos. Tudo isso pode afetar a formação correta dos glóbulos vermelhos.

Anemia na gravidez

As necessidades de ferro são maiores durante a gravidez para permitir o adequado desenvolvimento do feto e da placenta. Quando a ingestão de ferro não é suficiente, ocorre a anemia na gravidez, um processo bastante comum, mas facilmente reversível, que ocorre até um terço das mulheres grávidas, especialmente no terceiro trimestre.

Uma boa alimentação pode prevenir a anemia por deficiência de ferro durante a gravidez, bem como o consumo de suplementos pré-natais com ferro e vitaminas (ácido fólico e vitamina B12), pode ajudar a prevenir e tratar a anemia ferropénica durante a gestação.

Se houver risco ou suspeita de anemia, a grávida deve sempre entrar em contato com seu profissional de saúde. Será ele quem determinará a quantidade de ferro necessária que pode ser tomada para garantir a sua saúde e o adequado desenvolvimento do feto.

Como combater e prevenir a anemia?

Manter um estilo de vida saudável é a melhor maneira de evitar a anemia. Uma boa alimentação, a prática de exercício físico e evitar o consumo de toxinas como tabaco ou álcool podem ser o melhor aliado contra a anemia. Em situações extraordinárias, os suplementos alimentares podem ser úteis. A seguir, os melhores nutrientes para a anemia.

Qual é a melhor dieta para a anemia? Vitaminas e alimentos recomendados.

Dietas ricas em ferro

Este mineral entra no nosso organismo através dos alimentos que consumimos. São ricos em ferro os seguintes alimentos:

  • Gema de ovo.
  • Carne bovina e suína.
  • Mariscos e sardinhas.
  • Frutos secos (amêndoas, nozes).
  • Leguminosas.
  • Pão integral.
  • Cereais enriquecidos.

Dietas ricas em folatos

Tal como acontece com o ferro, os folatos também são ingeridos através da dieta. São ricos em folatos:

  • Fígado bovino.
  • Soja.
  • Espinafre e vegetais de folha verde.
  • Frutos secos (amendoins, nozes).
  • Favas e ervilhas.
  • Couve-de-bruxelas.
  • Laranja.
  • Aspargos.

Dietas ricas em vitamina B12 ou cobalamina

São alimentos ricos em vitamina B12 os seguintes:

  • Carne e fígado bovino.
  • Amêijoas.
  • Peixes.
  • Carne de aves.
  • Leite, ovos e derivados.
  • Cereais enriquecidos.


DESCUBRA O CATÁLOGO DE PRODUTOS MARNYS